Cidades de Papel – o filme

Em 16.07.2015   Arquivado em Dicas, Filmes 0 comentário aguardando moderação

paper1Cidades de Papel – 2015
Sinopse: A história é centrada em Quentin Jacobsen (Nat Wolff) e sua enigmática vizinha e colega de escola Margo Roth Spiegelman (Cara Delevingne). Ele nutre uma paixão platônica por ela. E não pensa duas vezes quando a menina invade seu quarto propondo que ele participe de um engenhoso plano de vingança. Mas, depois da noite de aventura, Margo desaparece – não sem deixar pistas sobre o seu paradeiro.

Semana passada entrou em cartaz aqui no Brasil o livro Cidades de Papel, baseado no livro homônimo do nosso amado João Verde. Quando eu li o CdP em 2013 eu achei o livro meio arrastado e, depois de ler todos os outros, passou a ser o pior livro dele que eu tinha lido. Não estava criando expectativas com o filme, fato que venho exercendo tem um tempinho, para que eu não me decepcionasse com a adaptação.

O filme começa com um flashback, do dia que o Quentin vê a Margo pela primeira vez. Um adendo aqui: onde acharam a Margo criança? Gente, ela é a cara da Cara (#fail). Ele narra como era a amizade dos dois, até o dia que eles encontraram com o cara morto no parque, e como a amizade deles teve um fim. Aí começa as cenas dele na escola, já adolescente sendo completamente ignorado pela sua ex-amiga. Até a noite que ela invade o quarto dele para levá-lo para a melhor noite da sua vida. A sequência do plano de vingança da Margo tá impecável e pra lá de hilária. Pra quem gostou dessa parte no livro tem uma pequena decepção aqui. Cortaram uma das invasões que eles fizeram, mas era aquele tipo de cena que não interfere no propósito do livro

Aí ele vai dormir, acorda e… cadê a Margo? Enfim, fato que quem leu sabe o que acontece. Ele percebe as pistas deixada por ela e vai em busca de uma resposta para seu paradeiro. Procura respostas em todos os cantos, acha o livro do Whitman, as frases sublinhadas, as mensagens codificadas, até irem para a loja abandonada que ela costumava ir. Outro adendo: numa das idas deles para lá acontece um fato que… senhor, eu RI DEMAIS. Simplesmente hilário. Aí tem a festa, a bebedeira do amigo, a possível descoberta de onde ela possa estar e o início da viagem dos amigos em busca da Margo.

Quentin se junta ao seus fieis escudeiros, Radar e Ben, que junto com Lacey, amiga da Margo e Angela, namorada de Radar e saem EUA a fora atrás da possível cidade de papel que Margo estaria. Eles fazem uma parada num posto e, pra nossa surpresa, tem uma participação MUITO ESPECIAL nessa cena. Juro que eu não sabia e que eu gritei, assim como todos que estavam no cinema. Eles chegam ao tal destino e cadê a Margo?

Diferentemente do livro, ela não está lá. Q fica decepcionado, mas ele insiste que quer encontrá-la de qualquer forma. Eles se encontram e bem, não quero dar spoiler do final do filme, que é totalmente diferente do livro, mas eu gostei da mensagem que eles tentaram passar. Não foi um final clichê e é tipo “você pode correr atrás dos seus sonhos, do que você acha que é certo para você. Mas, será se é mesmo? Será se aquilo é realmente pra você?”

Quanto as atuações: Natt (seu lindo) tá perfeito como Quentin. Nerd, meio desajeitado, mas com charme de galã, soube fazer um bom trabalho e dá vontade de ser amiga dele. Cara, bem, amiga, acho que você precisa aprender a atuar um pouco mais. No início senti falta de mais presença. Sabe quando a Margo é firme no que ela acredita? Bem, ela não passou muito essa ideia. No final ela tá mais convincente, mas ainda não tá 100%. Os outros atores foram bem escalados. O carinha que faz o Radar é fofo e meio desajeitado, o do Ben é bem sem noção, como eu imaginei que fosse.

Resumindo: o filme tá muito bom, apesar das modificações. Meu medo era que a parte da busca das pistas se estendesse demais, como é no livro, mas eles souberam dosar na medida cera.

Desculpem o sumiço daqui. Tô de férias, mas nem parece. Todo dia faço mil e uma coisas por conta da mudança e quase nem trisco mais no meu notebook. Até minha TBR tá parada. Só consegui ler até agora 1 livro dos 9 que eu coloquei na lista e já tenho outro que eu vou passar na frente deles.

;*

FUI!!!

  • Luly

    Em 16.07.2015

    Eu preciso ler mais livros do John Green para tirar a impressão ruim que tive do único que li, mas sempre que falo isso me recomendam que eu NUNCA comece por Cidades de Papel, hahahahaha!!!
    Tô pensando se verei o filme. Algumas pessoas disseram que tá ótimo, outras que tá horrível, são opinióes muito contrárias, não vi ninguém “neutro”!!

  • Camila Carvalho

    Em 16.07.2015

    Eu amei o filme e fiquei com o mesmo receio que você que o filme ficasse enrolando assim como no livro, particularmente preferi o filme do que o livro, isso raramente acontece.
    Beijos

    http://tecontopoesia.blogspot.com.br/

  • Lívia

    Em 16.07.2015

    Não sei se você assiste, mas a voz da Margo e o jeito dela falar me lembraram muito da Ellen Pompeo (?), que é a Meredith de Grey’s Anatomy. A língua meio presa, a voz mais grossa e tals… pensei nisso o filme inteiro heh
    Eu definitivamente não esperava que fosse gostar tanto da história (não li o livro) e me encantei completamente com tudo, principalmente com o final inusitado.
    Me diverti bastante (e a cena em que eles zoam Game of Thrones? heh) e me emocionei também.
    Tbm achei um barato o caixa do posto de combustível heh o cinema inteiro gritou! ahahah
    Por enquanto não tô pretendendo ler o livro, mas já quero rever o filme.
    Beijo!

  • Thais

    Em 16.07.2015

    Tive que comentar num post de pelo menos algo que eu já tenha visto/lido.

    Eu gostei muito do livro por se passar na minha cidade favorita do mundo, mas até agora eu não consegui assistir o filme. Sei que uma das minhas cenas favoritas foi cortada – e não, não é a do Sea World!

    Mas se você comentou que conseguiram diminuir um pouco da enrolação das pistas, já é ponto positivo! :D

    Bjs