Esposa 22

Em 09.02.2013   Arquivado em Livros, Resenha 0 comentário aguardando moderação
Edição: 1
Editora: Intrínseca
ISBN: 9788580572414
Ano: 2012
Páginas: 400

Sinopse: Alice e William Buckle se casaram apaixonados. Mas, dois filhos e quase vinte anos depois, Alice está entediada. Por isso, quando recebe um convite por e-mail para participar de uma pesquisa on-line sobre casamentos, ela aceita num impulso. Respondendo às perguntas enviadas por um pesquisador anônimo e carismático (Pesquisador 101), Alice (Esposa 22) tem a oportunidade de reexaminar a história do próprio relacionamento.

Num domingo desses aí da vida fui com minha irmã na livraria do shopping, depois de almoçarmos no Giraffas (rito semanal) e resolvi comprar um livro pra ela. E um pra mim. Como não tinha nenhum dos que eu queria comprar acabei procurando um “livro qualquer”. Já tinha visto “Esposa 22” na livraria mas não tinha lido a sinopse. Resolvi pegar e ler. Hummm, internet, twitter, facebook, relacionamentos… Parece ser bom.

Comecei a ler dias atrás. Emperrei. Voltei a ler essa semana. Li feito uma condenada. Emperrei mais por falta de tempo que por não gostar do livro. Gostei dele logo no início.

Descobrimos como é a vida da Alice Buckle, uma mulher com mais de 40 anos que anda infeliz no casamento, no trabalho, acha que o filho caçula é gay e não consegue se entender com sua filha. Seu marido, William Buckle, trabalha numa agência de publicidade e é numa festa de lá que ela percebe que seu casamento não tá lá essas coisas e que parece que ela está sofrando da chamada “crise de meia-idade”. Ela até recorre ao santo Google para pesquisar sobre os sintomas da crise. E de um casamento feliz. E ver o que ela acha dela mesma na internet.

Eis que olhando a caixa de spam do email, ela vê um email de uma instituição que deseja que ela faça parte de uma pesquisa sobre o casamento. Pronto. Aí ela conhece o Pesquisador 101, a pessoa que seria responsável por entrevistá-la. É criado um email com o nickname dela na pesquisa (Esposa 22) e é lá que começa a troca de email deles. Emails que evoluem para bate papo no facebook, onde cada um cria um perfil fake, já que suas “identidades reais” não podem ser reveladas.

O que eu achei mais interessante nesse livro foi a forma como ele é escrito. Os capítulos que são referentes as trocas de email são diagramados de uma forma, do bate papo de outra, o das respostas das pesquisas e os que ela narra o dia a dia ou descreve algumas cenas ‘minuto a minuto’. Outra coisa que eu gostei foi como a “pesquisa” é conduzida. Ela tem que responder um questionário que é enviado pelo Pesquisador 101. Só que ele não envia tudo de uma vez. Aos poucos ele envia uma quantidade de perguntas e ela responde, mas durante o livro só aparece as respostas dela. Você fica tentando adivinhar o que foi perguntado… Assim eu fiquei, mesmo sabendo que há um apêndice no final do livro com todas as perguntas. Só teve uma que eu fui olhar pra saber o que era. O resto eu tentei deduzir.

Com o passar do livro você vai percebendo o “drama” que ela vive por esconder do marido, dos filhos e todos essa pesquisa, além do fato que o pesquisador se apaixona por ela. Eu percebi com o decorrer do livro que a identidade do tal pesquisador tava um tanto quanto óbvia, mesmo assim não deixei de “comemorar” e o final do livro é bacana. Gostei da forma que ele termina, com “pesquisas”, assim como ele começou.

————————————————
Não esqueçam de participar das promoções de aniversário do blog!

;*

FUI!!!

Página 25 de 25«1 ...2122232425