Aventuras em Belém – parte 3

Enfim, chegando a última parte das minhas aventuras em Belém. Sei que quase ninguém leu o post passado, mas vou postar a última parte mesmo assim.

Acordamos na quinta-feira com a ideia de sairmos pro Ver-o-peso e pro Mangal das Garças, mas não sabíamos quem iria. Depois de passar metade da manhã enrolando só eu, a Fátima e a Aliciane que fomos pra lá, junto com uma amiga da Fátima que é de lá, a Mara, e um amigo dessa menina (porque o Ver-o-peso é um tanto quanto perigoso e precisávamos de uma companhia masculina). Fomos de ônibus e essa menina foi falando um pouco de cada lugar que a gente passava. Foi muito bom, porque conhecemos um pouco mais da cidade. Chegamos no mercado e deixamos nossas bolsas no carro desse menino e saímos só com o $$ no bolso (e a coragem na cara).

Esse é um dos pontos mais conhecidos de Belém, mas não é o mais bonito. Ele tem sua beleza, claro, porque o rio passa do lado (tipo, ele fica ao lado da Estação das Docas), mas como todo mercado aberto ele tem muita sujeira. Mas ele é bem organizado. Tem a parte das comidas, das roupas/bolsas/brinquedos, das frutas/legumes, das crendices populares (sabe esses xaropes que curam tudo, atraem homens e tals? achamos por lá) e das lembrancinhas, que era nosso interesse. Compramos umas coisinhas por lá, na sua maioria chaveiros. Depois que saímos de lá passamos pelo Mercado Municipal (onde vendem as carnes e tals) e gente, lá é MUITO organizado. Tem um “mirante” lá que a gente subiu pra tirar foto e eu tava me tremendo horrores!

Ver-o-peso

No Ver-o-peso

Ver-o-peso

Na escadinha do mirante no Mercado

De lá fomos pras Docas só pra tirar uma foto e, como era hora do almoço e precisávamos almoçar fomos pro shopping, só que dessa vez pro Pátio Belém. Rolou um pequeno estresse por lá porque ainda íamos pro Mangal das Garças e eu ia apresentar meu trabalho na quinta e aí tínhamos que almoçar correndo e as meninas queriam olhar as lojas do shopping. Acabamos indo pro Giraffas (sempre salvando a gente) e de lá pegamos um táxi e fomos pro Mangal.

Gente, se o paraíso existe na Terra ali é um pedacinho dele. Que lugar lindo. Passeamos pelos lugares, tiramos fotos, mas rolou outro estresse. Agora foi porque eu era a única com câmera no grupo e eu fui pra lá mais pra tirar fotos do ambiente do que das pessoas. Aliás, eu gosto de tirar foto da galera, mas não quando abusam. A pessoa quer que tire 35466796 fotos do mesmo jeito e eu queria curtir o ambiente, além do fato de que eu tava preocupada com o horário, já que a UFPA era bem distante de lá. Curtimos o passeio, eu subi no mirante de lá e GENTE DO CÉU, QUE VISTA LINDA QUE EU VI DA CIDADE! Lindo era que tava mó sol onde estávamos mas só ouvíamos o barulho de trovão ao longe. Quando eu subi e realmente vi a chuva que tava caindo do outro lado da cidade.

Ver-o-peso

Vista do Mirante

Ver-o-peso

Dando uma de turista xD Agradeço a uns cearenses que estavam lá em cima essa hora

Saí de lá com a Aliciane e fomos pra UFPA de táxi. Cheguei lá bem a tempo da ansiedade da apresentação bater. Mas foi legal. Expliquei o trabalho pra algumas poucas pessoas mas foi bom. De lá algumas pessoas iam pro teatro e outras queriam ir ao shopping (tipo eu) mas caiu LE TORÓ enquanto estávamos no ônibus que quase que eu não conseguia ir pra lá. No fim das contas fui sozinha ao Pátio Belém encontrar a Bethânia pra entregar o presente que a Mila tinha mandado. Aproveitei e comprei umas blusas (uma polo e 2 normais do quiosque do Mané Gato), uns presentes e um cupcake por lá. Antes de ir embora passei no supermercado e voltei pro albergue exausta.

Ver-o-peso

Criança atentada (eu) fazendo arte na janela do ônibus enquanto estávamos no engarrafamento da chuva

Ver-o-peso

O cupcake

Na sexta fui de manhã com os meninos no Mangal das Garças (de novo). Eles queriam entrar no borboletário mas eu não ia entrar nem a pau! Voltamos de ônibus de lá e no caminho da volta resolvi ir atrás de umas coisinhas pro pessoal, mas como eram caras demais acabei desistindo. Fizemos o check-out no albergue e fomos pra UFPA pra almoçar e esperar a hora da viagem da volta. Eu dormi mais que uma condenada nessa viagem. Acordei em alguns pontos porque tava com fome, mas ou eu tava dormindo ou eu tava ouvindo música. Tanto que me elegeram a “dorminhoca” e a “sacoleira” da viagem.

Ver-o-peso

Anderson, Jivago, Rennoly, Otávio e a guia turística, er, eu

Ver-o-peso

Borboletário visto de fora

Chegamos em Teresina às 5 e pouco da manhã do sábado (27 de abril). Passei o sábado ruim, porque me alimentei mal e tals.

Bem, assim chega o fim da minha saga em Belém, um mês depois que eu cheguei de lá. Tô desestimulada com o blog. Poucos visitam e comentam e isso desistimula qualquer um. Acho que vou fazer alguma promoção pra ver se alavanca o blog, mas não sei.

;*

FUI!!!

Comente este post!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

  • Dayse Fashion

    Que lugar lindo, eu gostei muito!
    bjsss o/