Aventuras em Belém – parte 1

Como eu disse no post passado ia viajar pra Belém – PA pro IV Ciella, e assim eu fui. Gente, fazia muito tempo que eu não viajava pra longe, só com a galera, pra um congresso. A última vez foi em 2009. Dessa vez fui meio que “obrigada” por conta de um trabalho que estou fazendo e como eu tinha em mente, fui pra lá pra isso. SE aparecesse alguma palestra interessante eu assistiria. Sou grandinha o suficiente pra saber como são os congressos.

Falando da viagem. Eu tava quase em pânico porque conhecia poucas pessoas. Só os professores e umas duas meninas. O resto eu conhecia de vista e tava morrendo de medo de não me entrosar. Cheguei na UFPI (local de encontro pra viagem) no horário combinado e via o pessoal com seus grupinhos e aí foi que eu comecei a achar que não me enturmaria. Mas por sorte, a Fátima chegou e comecei a andar com ela. Saímos de THE na segunda-feira (22 de abril) às 08:50 da manhã rumo a Belém. Cruzamos o Maranhão todo. Paramos em Caxias, porque uma moça ia entrar no ônibus lá, em outra cidade que eu não lembro o nome onde paramos pra almoçar e em Zé Doca, todas cidades do MA. À noite paramos em uma cidade já no PA mas eu não lembro o nome. Onde parávamos eu perguntava “onde estamos?” porque era só eu encostar a cabeça no banco que puf, eu dormia. >

O ônibus que a gente viajou

Chegamos em Belém por volta de 1 da manhã e fomos direto pro albergue que ficaríamos. Foi só chegar lá que começou a chover e eu já nem tava mais podendo pegar chuva porque quando paramos pra jantar estava caindo uma chuva muito forte e eu acabei me molhando a caminho do restaurante. Chegamos, pegamos nossa mala e fomos fazer o check-in. Já tinham pre-determinado quem ficaria nos quartos e nas camas do beliche e adivinhem aí quem ficou no beliche de cima? Sim, euzinha aqui! E ainda por cima o ventilador/ar condicionado ficava direto pra minha cama. Beleza, né? -só que não.

Chegamos, nos alojamos e capotamos na cama. Como no dia seguinte o congresso só começaria à tarde dormimos até umas 7 e pouco – 8 da manhã pra tomar café e irmos pra UFPA pra pegar o material do congresso. Antes de ir pra lá fui atrás de uma gráfica com umas meninas porque meu poster estava com um problema. Disseram que tinha uma bem perto de onde estávamos mas passamos direto e nem vimos… 3 quarteirões depois perguntamos pra um cara e ele informou onde tinha uma e na volta achamos a bendita gráfica! Ô comédia! Quando todos estavam prontos pra ir pra lá descobrimos algo que não foi tão legal. O nosso ônibus não poderia circular e nem parar na rua do albergue. Resultado: lá fomos nós de ônibus coletivo pra UFPA. Perdemos a vergonha e começamos a perguntar qual ônibus pegariamos pra ir pra lugar tal e tal e pronto. Com isso, tínhamos uma “liberdade” que não teríamos se o ônibus da UFPI levasse a gente para todo canto.

Fomos pra UFPA no ônibus e no trajeto rimos demais. Eu e os meninos percebemos que o ônibus tava fazendo um barulhinho engraçado tipo “tan tan nan nan tan” e um outro ônibus “respondia” com uma “tan tan”. Eu já tava com a barriga doendo de tanto rir. Chegamos na UFPA e gente, que lugar lindo e imenso!!! Pegamos nossa credencial e fomos procurar o RU de lá. Que RU lindo! Só que a fila tava imensa e nós fomos enfrentar. No meio do caminho descobriram que tinha uma fila pra quentinha e lá fomos nós atrás delas. Chegou na minha vez a a mulher diz que não tinha mais. Pense num ódio. Os que ficaram sem quentinha (eu, meu orientador, um outro professor e mais umas 5 pessoas) achamos uma PA que vendia um PF por 8 reais. Foi o jeito, porque eu não posso ficar sem comer. Assistimos a palestra de abertura e depois fomos pra Estação das Docas de ônibus. Gente, que ônibus legal! Tava tocando Jota Quest, KLB, Sandy e Junior enquanto estávamos lá… Pense num povo que cantou! Engraçado era a Bia (uma das professoras) falando “olha, a Renata sabe todas” xD

UFPA

Grupo nas margens do Rio Guamá na UFPA

Estação das Docas

O RU de lá

O ruim de andar de ônibus numa cidade desconhecida é que às vezes te informam coisas erradas e mandaram a gente descer numa parada bem antes do que era pra gente descer lá nas Docas. Caminhamos horrores até chegar na entrada e gente, que lugar lindo! Fomos no final da tarde, ou seja, vimos o pôr-do-sol lá. Os restaurantes são chiques demais (e super caros também), mas a atração lá era a sorveteria Cairu, com sabores tadicionais e exóticos. Podem me bater, mas eu não tomei sorvete =( Por conta do meu nariz (que piorou consideravelmente) acabei não tomando com medo de piorar mais ainda. Ficamos um bom tempo lá e aproveitei pra comprar um presente pro meu pai e um outro pra uma amiga. Sei que nesse tempo comecei a piorar e ficar irritada por conta da fome. No fim das contas me irritei e decidi ir pro Boulevard Shopping sozinha pra procurar algo pra comer. Gente, sabe pinto no lixo? Eu nesse shopping! Pra começo de conversa me perdi procurando a praça de alimentação… Depois quase surto na Saraiva de lá (deixei o surto pro dia seguinte com direito a fazer amizade com um vendedor de lá) mas fui mesmo pra jantar e fui isso que eu fiz.

Estação das Docas

Estação das Docas

Fui pro Giraffas (vicio desgraçado) e comi por lá. Nem cheguei a comer tudo porque tava com medo de passar mal. Terminei de jantar e fui na Renner/C&A/Riachuelo atrás de uma blusa de manga comprida pra não sofrer no frio. Acabei comprando um moletom e umas meias um pouco mais grossas (sim, sou friorenta a esse ponto) e depois voltei pro albergue de táxi. Peguei meu tablet, fui pra net mas já tava ruim o suficiente pra ficar acordada e resolvi ir banhar e dormir.

Gente do céu, agora que contei um dia da viagem e o post já saiu desse tamanho! Ó ceus!! Vou escrever logo os outros posts e aí vejo a frequencia de colocá-los no ar!

Bem, vou ficando por aqui!

;*

FUI!!!

Comente este post!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

  • Mellanye

    Ai, viajar é tão bom, né?
    Falo isso de metida haha pq viajo muito pouco :(( mas deve ser uma delícia!
    Viajar em turma me lembra os tempos de escola, é muito gostosa a parte das músicas HAHA e o “pior” é que a gente acaba cantando tudo mesmo, até aquilo que não gosta. E olha só, essa foto da turma toda, que lugar lindo :O Que céu, que nuvens! <3

    Aproveita a viagem, pelas fotos parece ser um lugar bem bonito, não conheço nadinha do Nordeste :((

    beijos

  • Mellanye

    Opa, eu disse Nordeste? HAHA
    Pará é Norte haha perdão!

  • Roberta

    Aaaa, num brinca que você estava na minha terra? inlove
    Aqui em Belém é assim, faz uma manhã ultra quente e um temporal depois do almoço, todo mundo aqui já acostuma que nem gripe pega mais.
    Enfrentar a fila do RU é normal pra quem quase vive na UFPA,sempre tento chegar uns 15/20 minutos antes pra não enfrentar filar, mas parece que tem gente que chegar lá às 5 da manhã pra guardar lugar ^o^
    A estação é incrível – principalmente pra namorar – espero que você tenha passeado no barco da Vale Verde Turismo, se não, não aproveitou ao máximo a vista da cidade por fora. E o mangal, conheceu?
    Não se preocupe, logo quando o Boulevard inaugurou era um labirinto. Eu mesmo até hoje me perco .. Sim!!!! a Saraiva de lá é linda, grande e tem tudo o que eu preciso o/ é quase meu 2º lar.
    Conta logo mais, por favor .. quero saber tudo o que você viu aqui na minha cidade.

  • Edwin Lafaiete

    Eu não sei se iria conseguir viajar tantas horas de busão, essa semana teve um congresso lá em porto seguro, nem ousei em ir, mais de 16 horas só de viagem rs not. não rola rs . Menina, to passada com esse RU, se tu ver o da UFPE :$ cry . espero que você tenha melhorado, viajar pra onde não conhece nada, longe de todos e ficar dodoi, não rola rs.

    beijos Rê.